TIRANIAS – QUEIRA DEUS QUE “MINHAS” PONDERAÇÕES NÃO SEJAM PREMONITÓRIAS

Nov 28th, 2014 | By | Category: Artigos

TIRANIASNa qualidade de escritor espírita confirmo que sou apolítico sob o ponto de vista partidário, porém avaliando diariamente os noticiários nacionais e internacionais sobre a liberdade humana, apesar de revelar uma brutal aberração, não há como ignorar que “ escravidão, sobretudo ideológica e política, ainda acontece em diversas partes do mundo, mormente nos países socialistas (unipartidários), a exemplo da República Popular da China, República de Cuba, República Socialista do Vietname, República Democrática Popular da Coreia, República Democrática Popular de Laos, Venezuela.” [1] Alguns atores que detêm as rédeas do poder atualmente no Brasil, há meio século, alastraram o terror, a violência, a morte, o motim e a desobediência à ordem constitucional da época.

Curiosamente, sob um cenário de guerrilha subversiva, em pleno “regime militar”, o mestre Chico Xavier participou do programa “Pinga Fogo”, apresentado pela TV Tupi – Canal 4, em 21/12/1971. Dentre as enxurradas de perguntas dirigidas ao médium de Uberaba saliento a questão abaixo, por duas razões: primeiro por serem ponderações do “Maior brasileiro de todos os tempos”, segundo por ser tema que remete à atual e preocupante conjuntura cultural, política, econômica e principalmente social na “Pátria do Evangelho”

O jornalista Saulo Gomes indagou: O que pensam os Benfeitores espirituais quanto à posição do Brasil atual [regime militar], seja no terreno político ou social? Chico Xavier, o “Mineiro do século XX”, esclareceu com equilíbrio, patriotismo e sem coerção: ” a posição atual [sob controle das Forças Armadas Nacionais] do Brasil é das mais dignas e das mais encorajadoras, porque a nossa democracia está guardada por forças [armadas] que nos defendem contra a intromissão de quaisquer ideologias vinculadas à desagregação.” [2]

O médium de Uberaba enfatiza a oração que segundo ilustra, “não é apenas endereçar palavra ou pensamento a Deus em súplica, significa do mesmo modo discursar e expor os pontos de vista, pois a oração é uma das expressões mais vivas do espírito democrático do Cristianismo, posto que cada um ora segundo as suas crenças.”[3]

Esclarece o “pupilo de Emmanuel”sem qualquer expressão eufemística, que a posição atual do Brasil [Regime militar] é a das mais dignas e das mais encorajadoras para a democracia, pois está guardada por forças que nos defendem contra a intromissão de ideologia vinculadas a desagregação [referência ao totalitarismo de esquerda]. Precisamos honorificar a posição atual daqueles [militares honrados] que atualmente nos governam.” [4]

O mais ilustre “filho de Pedro Leopoldo” reenfatiza a necessidade da prece: “Devemos orar e juntarmos os nossos pensamentos, a fim de que a união seja preservada dentro das Forças Armadas, com isso manteremos o pleno direito de orar, isto é, discursar, permutar livremente os nossos pontos de vista. Dar os nossos pareceres, permitir as nossas opiniões em matéria de vivencia particular ou coletiva. Com todo respeito e sem nenhuma ideia de bajulação, nas minhas confabulações com os Espíritos amigos do Brasil rogo para que tenhamos a custódia das Forças Armadas Nacionais e que os incorruptíveis militares continuem nos auxiliando como sempre. Isso para que não venhamos a descambar para qualquer desfiladeiro de desordem.” [5]

“(…)Muitas das vezes acreditamos que as Forças Armadas Nacionais devem apenas funcionar nas ocasiões de beligerâncias, nas ocasiões de guerra. Precisamos resguardar os nossos corações para que essas ideias [subversivas] não infiltrem em nossa vida pública, em nossa vida coletiva e venhamos a perder o dom da liberdade em Jesus Cristo. (…) Vamos agradecer a situação atual [sob controle das Forças Armadas Nacionais] do Brasil por que o País desfruta de ordem. Nós estamos sob o império da lei e devemos ser gratos a Deus e cooperar para que não venhamos perder a ordem, porque a ordem é como a luz do Sol, de tanto receber a luz do sol, muitas vezes nos esquecemos de agradecer esse dom da Providência Divina.” [6]

“(…)Muitas vezes só compreendemos a ordem quando a desordem aparece. Nós somos brasileiros não devemos proceder em moldes da insensatez. Reverenciemos aqueles [Militares honestos] que estão guardando o sentido da ordem no Brasil, em fazendo com que cada um de nós possamos desfrutar esse benefício da paz em nossa vida particular, em nossos lares, em nossos grupos sociais, em nossas empresas de trabalho, lembrando sempre que só não podemos desfrutar uma espécie de “liberdade”, aquela liberdade ilusória que prejudica a comunidade, não podemos prejudicar a ninguém e muito menos a sociedade.” [7]

Como depreende-se do exposto acima, tão-somente transcrevemos um depoimento de Francisco Cândido Xavier, que a rigor, apenas reproduziu verbalmente as orientações advindas dos Benfeitores Espirituais. Um fidedigno seguidor do Evangelho não é necessariamente de “direita” ou de “esquerda”, apenas um cristão, isso é tudo. Todavia, podemos e devemos sim fazer análise de contexto. Em pleno século XXI, percebemos seres impetuosos que permanecem navegando sobre águas desassossegadas dos oceanos ideológicos (materialistas) na “Pátria do Cruzeiro”. Identificamos no horizonte densas nuvens ameaçadoras prenunciando tormentas. Contudo, Jesus permanece no Comando, por isso a sociedade precisa caminhar firmemente em direção à paz, cuja flâmula deve fulgurar a legenda da liberdade coletiva ou individual, não obstante seja a liberdade humana concernente à concessão misericordiosa do “Governador do Planeta”.

Jamais permita Deus que nessa marcha surjam as armadilhas do viés ideológico da ditadura de esquerda ou de direita. Contudo, se não orarmos, exorando a intervenção amorosa de Jesus, a benefício do Brasil, da América Latina e da Terra, provavelmente em breve futuro, todos estaremos sob o tacão de chumbo da ditadura e “legalmente” seremos proibidos (isso mesmo! PROIBIDÍSSIMOS) de anunciar com liberdade os conceitos da Terceira Revelação, exatamente como ocorre na China, Coreia do Norte e com extremas restrições em Cuba. Os compactos indícios estão sob nossos olhos, mas há os que “vendo, não enxergam; e escutando, não ouvem, muito menos compreendem.” [8]

Em verdade os impetuosos (descompromissados com o Evangelho de Jesus) são agressivos, constroem facções (suprapartidárias), aparelham os poderes (executivo, legislativo e judiciário) e conquistam foros de absoluto poder cada vez mais possante e contraditório (sob os auspícios da abominável e institucionalizada corrupção).

Os prováveis indicativos de desordem social raiam em cada milímetro na “Pátria do Cruzeiro do Sul”, cuja soberania entendemos estar sob riscos iminentes. Debaixo da alquebrada ladainha de “socorrer os pobres” (leia-se “aliená-los”) há os que alicerçam as bases para a perpetuação do ambicionado poder absoluto (como já ocorre nalguns países latino-americanos). Oremos, deprequemos, imploremos abundantemente, para que os assuntos aqui expostos sejam apenas arrebatamentos ilusórios do autor. Observemos que tudo na Pátria do Evangelho está em “perfeita ordem”. Exageros à parte queira Deus que “minhas” argumentações não sejam premonitórias.

Obviamente não estamos declarando que o Regime Militar seja hoje a mais eficiente solução para pacificação social, entretanto as Forças Armadas Nacionais devem permanecer atentas, até porque, a liberdade política de um povo não se pode manipular sem gravíssimas consequências.

A omissão nunca foi boa conselheira para quem deseja a ordem social. É contraproducente cruzarmos os braços acreditando que os “anjos celestiais” (Benfeitores) irão providenciar o que nos compete fazê-lo. Sou apolítico, não me atrevo adentrar os pórticos de qualquer militância de ideologia partidária , todavia não me permitirei eximir de participar , se necessário for, seja pelas redes sociais, seja pelos pacíficos manifestos populares (como no caso da marcha pela vida) e outros legítimos mecanismos de pressão popular e cooperar com amor e ação no bem, visando um Brasil e um mundo melhor, auxiliando, inclusive com minha orações, os que têm o compromisso político para construir uma sociedade mais harmônica, organizada sob os auspícios da legítima LIBERDADE E DA PAZ SOCIAL.

Referências:
[1]Disponível em http://jorgehessenestudandoespiritismo.blogspot.com.br/2014/01/liberdade-e-escravidao-no-contexto-da.html acessado em 17/11/2014
[2]Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=5KtBqtArRfI acessado em 18/11/2014
[3]Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=5KtBqtArRfI acessado em 18/11/2014
[4]Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=5KtBqtArRfI acessado em 18/11/2014
[5]Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=5KtBqtArRfI acessado em 18/11/2014
[6]Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=5KtBqtArRfI acessado em 18/11/2014
[7]Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=5KtBqtArRfI acessado em 18/11/2014
[8] Mateus 13:13

Tags: , , ,

8 Comments to “TIRANIAS – QUEIRA DEUS QUE “MINHAS” PONDERAÇÕES NÃO SEJAM PREMONITÓRIAS”

  1. GERALDO MAGELA MIRANDA diz:

    Meu caro Jorge, saudações de paz, que nós dessa Pátria do Evangelho e do mundo todo precisamos.

    Não sabia dessa externação de Chico Xavier com relação ao regime militar dessa época.
    Particularmente, como tendente à esquerda em termos de pensamento político, vejo esse período como antidemocrático, ao contrário do que apregoou o nosso mestre, e que suprimiu barbaramente justamente a liberdade. As pessoas deixaram simplesmente de ter direito, a pretexto da “ordem social”. As atrocidades que ocorreram aqui e em outras nações que viveram a ditadura são coisas humanas sim, mas duvido que cristãs.

    A esquerda que sempre permeou o meu ponto de vista é a que conduz à horizontalização, da igualdade de direitos que entendo comuns, sem esquecer entretanto dos deveres que todos temos. E o dever fundamental que vejo como possível e necessário é a obrigação de ser bom, de não subjugar meu semelhante, pois ele é meu irmão, não meu inimigo. O problema é que o exercício do poder invariavelmente remete a exageros de toda natureza. Houve e há líderes que exterminam um sem número de pessoas a pretexto da purificação da raça, da “ordem”; submetem a comunidade que dirigem à guisa de sua própria razão, achando que são iluminados. Serão?

    A política, ao meu ver, é uma coisa inerente ao homem. Ele precisa desse expediente para ordenar a conduta humana, balizar a vida em sociedade, senão viveríamos feito cachorros na rua. Vemos sociedades, nações, com um índice de desenvolvimento humano nada equiparado ao nosso aqui, e eu lamento muito, porque vejo a possibilidade disso para todos, de maneira simplista, ingênua mesmo – meu sonho é a que igualdade seja vivida por todos, uma casa sem cerca, que legal.
    O subjugo e a corrupção são fruto do meu egoísmo, de achar que posso mais ou que sou mais iluminado que os outros. É aí que a vaca vai pro brejo – a vaca somos nós, atolados nesse lamaçal oriundo do equívoco do poder e do desvio da verdadeira ética. Um juiz é mais que um agente de trânsito, muito mais, não é?

    Vejo o período da ditadura como treva, não como luz. O medo, a privação de liberdade e de direitos não é coisa natural para nós, ao contrário. O Brasil com certeza aprendeu e se elevou com isso, e pagou um preço, pois pra se levantar foi preciso cair. No entanto, nossa democracia está contaminada pelo abuso, pelo aparelhamento, pelo desvio generalizado, pela roubalheira. Por aqui, quem pode rouba. Tudo isso a pretexto da ordem? Creio que a pretexto do poder pelo poder. PC Farias disse que o poder é a droga mais pesada que existe. Nas esferas do poder querem redefinir o que é ética. Ora, a ética existe por si só, é como a lógica, não depende do meu pensamento, a razão não é minha. Ética é respeito, é decência. Mas a sua desvirtuação política respinga na sociedade, e hoje se quer levar vantagem a todo custo; não se pode “perder”, apenas ganhar. Que tal em vez da noção de perder, eu pense em ceder? Não poderei ganhar sempre, outros precisam ganhar também. Simples como Francisco de Assis – é dando que se recebe. Particularmente, não quer subtrair nada, não me dou esse direito, eu quero é somar.

    Desculpe minha extensa elucubração, meu caro irmão.
    Estamos aqui para somar.

    Um abraço fraternal.
    Geraldo Magela Miranda

  2. Mauro Quintella diz:

    Caro Jorge,

    Se eu fosse o Chico, teria dito — clara e francamente — que não iria responder perguntas de natureza política.

    Acho que um exponente apolítico e apartidário — do campo artístico, do campo religioso, do campo científico, do campo filosófico, do campo jornalístico e outros — tem todo o direito de não declarar sua opção política e/ou partidária se perceber que isso vai causar embaraço à sua função precípua.

    Não há desdouro nenhum nisso.

    Imaginem o William Bonner declarando seu voto na Dilma…

    O mundo não-petista nunca mais iria assistir a TV Globo.

    Imaginem a Shakira opinando sobre a conjuntura política de cada país que visita…

    A Fundação Pés Descalços deixaria de ajudar milhares de crianças no mundo.

    No entanto, se o expoente apolítico e apartidário decidir apoiar uma facção política, deve aceitar a reação contrária.

    O Espiritismo ganhou alguma coisa com a defesa da ditadura militar no Brasil pelo Chico?

    Eu acho que não. Só perdeu.

    Um abraço.

    Mauro Quintella

  3. Carlos Alberto de Oliveira Lima diz:

    Caro Jorge e Prezado Geraldo,

    o estado da arte da sociedade humana, e particularmente as situações próximas e atuais vividas pelo Brasil, podem ser ser vistas com lupas em algumas direções, e todas elas revelando a necessidade de aperfeiçoamentos. É muito difícil análise que alcance com propriedade a complexa realidade humana ao largo dos preciosos conhecimentos doutrinários e das diretrizes do Evangelho de Jesus.

    A sociedade do Cristo, constituída pela fraternidade, caridade, justiça, amor a Deus e ao próximo, trabalho útil, humildade, simplicidade, dedicação continuada em busca do melhor entendimento das Leis do Senhor e do conhecimento dos segredos de sua criação, não exatamente nessa ordem e nem exaustivamente, é o ideal a ser perseguido sempre.

    Estamos muito distantes de um ordenamento social que espelhe essas diretrizes.

    As formas de supressão de liberdades são o tolhimento da Lei do Livre Arbítrio; a partilha de frutos sem a contrapartida da justa aquisição é burla à Lei de Progresso. O que não observe esses ditames Divinos, não subsistirá.

    No entanto, em sociedade imperfeitas como a nossa, situações há em que freios e reordenamentos são necessários para a preservação do bem comum; auxílios temporários, também, em face da desigualdade de oportunidades. Em determinados limites, funcionam como mecanismos da própria Misericórdia Divina em favor da criatura. Se tirarmos o Dedo de Deus da experiência do Espírito, encarnado ou não, nada faz sentido.

    Ai do mundo por causa dos escândalos! É necessário que haja escândalos, mas ai do homem pelo qual o escândalo vem! (Mateus 18:7)

    Não é uma questão de legitmar uma e outra, pois nos extremos todas são perniciosas ao crescimento espiritual.

    Os registros das experiências, de um lado e do outro, devem servir para aperfeiçoamentos necessários. Assim, governos totalitários e sociedade anárquicas, nas mais diversas nuanças, devem ser combatidos sempre pelo bom combate e somente as diretrizes do Cristo são eficientes para a superação, ainda que o homem de hoje lhe dispense pouca atenção.

    Sendo o tempo o senhor da razão e o Cristo, a Luz do Mundo, sejamos sempre trabalhadores de sua causa e portadores de suas verdades, onde estivermos, na relatividade de nosso entendimento, com simplicidade e humildade.

    Grato pelas reflexões por vocês oferecidas.

    Fraternalmente,

    Carlos Alberto

    • Jacir diz:

      Boa Noite a todos, não conhecia este pronunciamento de Chico. Mas com toda certeza não era apoio a Ditadura.
      Carlos Alberto tenho a mesma posição e acrescento estamos vivendo uma transição e devemos respeitar a vontade de Nosso Pai e lembrarmos que Jesus governa nosso orbe e confio plenamente em seus desígnios.
      Abraços

  4. Roberval Rego diz:

    Assisti ao programa Pinga Fogo citado e lembro de ter ficado estupefato com esta resposta de Chico. Lendo agora o texto sorri e explico o porquê.
    Quando assistira ao programa no youtube minha perplexidade fez-me, por semanas, a reflexionar o assunto.
    A conclusão a que cheguei foi uma com duas sub-divisões. A conclusão a que cheguei é que Chico não aceitava aquela situação sob nenhum ponto de vista. Que a pergunta não era: O Sr. acredita em Deus? Não, não. A pergunta era se o regime era aceito pelos benfeitores espirituais, ou algo assim.Ele não teria que renegar fundamento basilar de sua fé renegando Deus.
    Ora, ele apenas teria que jogar com palavras para satisfazer aos gorilas de então. Penso que Emmanuel o intuiu muito rapidamente neste grave momento. Uma declaração contrária ao regime poder-nos-ia ter tirado Chico e o mantido em algum porão destes que existiram à época.
    A sub-divisão à que me referi se refere aos motivos: poderia ser não alterar os ânimos dos seguidores e/ou transformá-los em inimigos do regime e um segundo motivo já o disse, é a manutenção do missionário, pois tão mais importante seria o fruto espiritual de sua existência .
    Eram essas minhas considerções.
    E acredito que nossa nação caminha na direção que nossos benfeitores, contentes, alegres, mas com muito trabalho, querem para o Brasil.
    Espero estar sendo premonitório.

  5. SERGIO DE JESUS ROSSI diz:

    Caro Jorge,

    O Maior Brasileiro do Século manteve-se coerente o tempo todo.
    A declaração em favor do papel legalista e pacificador das Forças Armadas refletia bem a simplicidade e o bom senso que sempre imprimiu a suas opiniões.
    Com isso em mente, voltemos ao cenário atual.
    Ninguém, em sã consciência, poderia advogar a ruptura institucional que fatalmente ocorreria em qualquer tipo de intervenção.
    Entretanto, observamos que grande parte dos irmãos que comandam o país têm se cercado de auxiliares, em vários níveis, que não exibem valores éticos mínimos para a importante dos cargos que ocupam, comprometendo o conceito moral daqueles que os indicaram.
    Endosso o seu desejo de que a premonição não caracterize este texto, mas a revista Veja “arriscou-se” nesse sentido, ao repetir as palavras ditas em delação premiada por um dos infelizes envolvidos: a água já chegou ao pescoço.
    Se for isso mesmo, que a população brasileira, inocente e vítima de todo tipo de desonestidade, seja poupada.

    Grande abraço fraterno,

    Sérgio de Jesus Rossi

  6. Angélica diz:

    Caro Jorge.

    Antes de mais nada quero congratulá-lo por finalmente alguém do meio espirita ter a lucidez, mesmo que “superficial” de introduzir um assunto que muito me tem causado angustia.
    Até o momento não havia encontrado em nenhum espaço espirita comentários sobre o assunto.
    Sou espírita desde os anos 80, portanto, não falo sem conhecimento, não vou apenas em palestras, participo inclusive da evangelização infantil.
    A mídia popular (globo, sbt, record, bandeirantes, folha de São Paulo, o estadão etc) não estão noticiando a verdade sobre o que está ocorrendo no Brasil.
    Estamos vivendo uma ditadura esquerdista, com o objetivo de introduzir o comunismo no Brasil. Para saber melhor o que está ocorrendo busquem na internet informações sobre o Foro de São Paulo.
    Estão ocorrendo manifestações alertando o público desde o dia 01/11, todos os sábados no Masp e não estão noticiando, quando muito a informação é distorcida ou mentirosa.
    O momento é muito grave, se não acordarmos não sei como isso tudo irá terminar.
    Muito me aflige a posição espírita com relação a isso, ficar em casa orando e deixar os outros fazerem a proteção do país ou nos unirmos a eles na defesa da pátria?
    A resposta que consegui achar foi justamente o vídeo do Chico, quando apoiou claramente os militares, que naquela época salvaram a nação dos comunistas, justamente esses mesmos que hoje estão no poder.
    Perdoe-me se me exaltei de alguma forma, mas a situação é tão grave que me sinto na obrigação de alertar aos que ainda estão ofuscados pelas omissões e inverdades transmitidas pelos meios de comunicação. Busquem informação via Facebook antes que elas sejam censuradas como irá acontecer a partir do dia 01.01.2015.
    Que Jesus abençoes a todos e nos fortaleça para a batalha que já se iniciou.

    Obrigada e um grande abraço

  7. Amigos, Irmãos, Confrades, e Cristãos, Simpatizantes e isentos de concepções outras, de meu relacionamento/amizades, participantes da Seara, antigos Comandantes e Chefes de mesma fé Cristã,

    Repasso para reflexão, a aqueles que realmente irão refletir.

    Diante da calamidade atual vivenciada pelo nosso País em relação ao descalabro administrativo, político, ético e judiciário, ansiava por umas palavras de lucidez daqueles que fazem o movimento espírita no Brasil e estas estão vindo através do Confrade e amigo, Historiador, Professor, Expositor Jorge Hessen, muito embora sabemos que nós outros não podemos nos pronunciar, sobre assuntos políticos. Mas movido por um sentimento cristão e de amizade me sinto na obrigação de encaminhar esta a vcs.

    Este Escriba, Irmão de ideal, com muita ética cristã, abordou o assunto e, os irmãos nossos todos, merecem tomar conhecimento dos fatos conforme abordado pelo Jorge Hessen.

    Se, os leitores, e têm todos os direitos a isto, acharem que o texto, artigo ferem os princípio cristãos e aqueles pelos quais os espiritista prezam, que me perdoem em nome do Pai Maior e do filho, Cristo de todos nós. Assim, diante da reflexão que fiz, digo também, ou faço minhas as palavras, QUEIRA DEUS QUE “MINHAS” PONDERAÇÕES NÃO SEJAM PREMONITÓRIAS

    Abraços,
    Ari de Sousa Lima – Sec. Geral Adj. de Orient. Rit. Rito Schröder-GOB

Deixe um comentário