Em torno da sexualidade

Ago 12th, 2020 | By | Category: Artigos

43 anos paeA arremetida teórica sobre a sexualidade humana é profundamente complexa. A aberração da prática sexual, quando somente visa a satisfação egoística , imediata e desvairada, cede lugar a patologias graves que rebaixam o ser humano. Há espíritos que ainda não conseguiram superar as viciações sexuais que trazem do passado e que entorpecem a consciência. Há casos obsessivos gravíssimos, conquanto incomum, em que a mulher insaciável coaja (“estupre”) o homem na área sexual.

Perante as leis humanas e de civilidade é preciso manter a observância às normas e regras, que nos diferem dos seres irracionais. Ora, do ponto de vista biológico, a sexualidade é uma sublime seiva para manter a vida em padrões de estabilização e de encanto, proporcionando, quando o seu uso é ético e equilibrado, contentamento e completude nos relacionamentos. Somos impregnados desse potencial sexual e convocados a aprender a discipliná-lo.

A sexualidade não pode ser avaliada sob o prisma dos que a consideram impura e proibitiva, muito menos sob as impressões dos que anseiam algemá-la ao plano da banalidade como simples fricção de células causadoras de clímax orgástico. A sexualidade humana é de procedência divina e sua possante energia, que alastra naturalmente no ser, não deve ser tratada de forma insana, todavia urge ser disciplinada no sentido de atingir seu desígnio, como força fecunda e criadora, a fim de produzir o avanço espiritual do homem.

Quando um casal se ama, os parceiros se apetecem e se reverenciam. A vida e experiência sexual entre ambos é respeitosa e prazerosa. O amor entre os dois não está condicionado apenas à sexualidade, todavia vai muito mais além, incluindo amizade, companheirismo e cuidado pela satisfação de suas necessidades. Quando, porém, isso não ocorre e há a necessidade compulsiva de sexo de um ou ambos companheiros, esse casal não está em harmonia; encontra-se psicologicamente corrompido e não é feliz.

Naturalmente precisamos exercer a indulgência para com aqueles que são servos da sexolatria, compreendendo que cada ser é um ente divino em suas potencialidades de amor que eclodirão no futuro, até porque esses atrasos morais são particularidades do estágio de expiação e provas do homem terreno.

É urgente orar e orientar aqueles que nos solicitam auxílio, demostrando as implicações infelizes do sexo em desatino e conforme nos advertem os Benfeitores do além,  diante de toda e qualquer desarmonia do mundo afetivo, seja com quem for e como for, coloquemo-nos, em pensamento, no lugar dos desajustados, analisando as nossas tendências mais íntimas e, após verificarmos se estamos em condições de censurar alguém, escutemos no âmago da consciência, o apelo inolvidável do Cristo: Amai-vos uns aos outros como eu vos amei.

2 Comments to “Em torno da sexualidade”

  1. Wanderlei diz:

    No passado a igreja Católica e a sua ortodoxia religiosa buscaram de todas as formas destruir o impulso sexual como sendo pecado. Com a chegada da modernidade e a destruição de antigos dogmas do passado a humanidade busca satisfazer de todas as formas o impulso sexual SE ESQUECENDO QUE SÃO ENERGIAS que se movem. Que podem nos trazer e infelicidades se não for usados com responsabilidades. MEDITEMOS!!!
    WANDERLEI

  2. PEDRO ILHO diz:

    O SEXO É UMA BÊNÇÃO QUANDO PRATICADO DENTRO DAS NORMALIDADES, AO CONTRÁRIO QUANDO PRATICADO COM ATITUDE ANIMALESCA, SEM A PRÁTICA SEXUAL O MUNDO NÃO EVOLUIRIA, OS ESPÍRITOS DE BOA VONTADE NÃO TERIAM AS OPORTUNIDADE DE EVOLUÍREM. PORQUE O MUNDO É COMO SE FOSSE UMA SALA DE ESTÁGIO DE UMA ESCOLA, ONDE PRATICAMOS NA PRÁTICA AQUILO Q APRENDEMOS NO MUNDO ESPIRITUAL

Deixe um comentário