PERANTE AS TATUAGENS, O ENFOQUE DE UM ESPÍRITA

Fev 25th, 2013 | By | Category: Artigos
tatuagensMédicos pesquisadores norte-americanos arrolam a tatuagem (arte corporal) à hepatite e como importante agente cancerígeno do fígado. Considerando que na pesquisa não houve relatos de casos de infestação bacteriana ou viral vinculados a estúdios de tatuagens profissionais nos Estados Unidos, os estudiosos recomendam que as pessoas apenas façam tatuagens ou coloquem piercings com profissionais habilitados. (1)
O que é tatuagem? É a introdução de pigmentos (2) insolúveis, coloridos ou não, sob a pele. As granulações microscópicas formam imagens, desenhos e palavras, permanecendo definitivamente na camada subcutânea. Para infiltração dos pigmentos são utilizados instrumentos pontiagudos especiais na epiderme. Durante o procedimento a pele é perfurada de 80 a 150 vezes por segundo para a introjeção das substâncias (3), processo esse que pode representar perigo de contaminações, e dentre os riscos relacionados, apontados em pesquisas, incluem reações alérgicas, HIV, hepatite B e C, infecção de fungos e bactérias, além de outros riscos associados até mesmo com a excisão (remoção) das tatuagens.
Sob a percepção histórica, a tatuagem é uma técnica ancestral que se esvai na memória cultural das civilizações. Surgiu, segundo alguns, como forma de expressão da personalidade, há mais de 3500 anos. Não compartilhamos da tese de que a tatuagem reflita, na essência, o caráter de alguém. Na era Cristã, na clandestinidade, sob o jugo do poder pagão, os primeiros cristãos se distinguiam por uma série de símbolos tatuados, como cruzes, as letras IHS, o peixe e as letras gregas. (4)
Atualmente existem as “tattoos” 3D, que dizem ser mais realistas do que os desenhos tradicionais e dão a impressão de que o desenho está saindo da pele. Essas insígnias servem para assinalar o corpo de componentes de gangues, grupos de atletas esportistas (surfe, motociclismo), “beatniks” (movimento sociocultural nos anos 50 e princípios dos anos 60 que subscreveram um estilo de vida antimaterialista, na sequência da 2.ª Guerra Mundial), hippies, roqueiros e bastante presente entre os jovens comuns e prosaicos dos dias de hoje.
O que informa a Codificação sobre as tatuagens e piercings? Nada! O Espiritismo, a princípio, não proíbe coisa nenhuma, todavia adverte e orienta. Sim, O Espiritismo oferece-nos elementos para avaliação, a fim de que deliberemos conscientemente sobre o que, como, quando, onde fazer ou deixar de fazer alguma coisa.
Mesmo que expressemos aqui simples opinião, não deslembremos que Jesus nos convida ao aprimoramento moral, a prudência do comportamento e a meditação no notável “orai e vigiai” (5). Embora Kardec não tenha comentado o tema, animamos alvitrar sobre qual a atitude mais criteriosa para o espírita, visando fugir dos ressaibos amargosos de futuro. Porém, aceitar ou não nossas reflexões fica DE MODO ÓBVIO sob a prerrogativa da liberdade de consciência de cada leitor.
Considerando que conhecemos muito pouco sobre a estrutura funcional do perispírito, seria atraente saber se haveria mutilação perispiritual por ensejo do uso desses implementos (tatuagens e piercings). Quem sabe, sim! Possivelmente, não! Contudo, uma coisa compreendemos de sobejo: o psicossoma é danificado no desvio moral, no desequilíbrio emocional, nos vícios físicos e psicológicos, no ódio, no pessimismo, na cobiça, na arrogância, na luxúria.
Sim! Lesamos o corpo espiritual quando prejudicamos alguém através da maledicência (fofoca), da agressividade, da bestialidade, da deslealdade. Assim, analisado por esse ângulo, os adornos (arte corporal) comprometem bem menos o corpo perispirítico. Principalmente porque na atualidade alguns desses adereços podem ser revertidos, já na atual encanação, e naturalmente não ecoará no envoltório do além do túmulo.
Na jurisdição do além, os espíritos podem fluidicamente moldar mental e automaticamente os vestuários e artefatos de uso e vontade pessoal. Desse modo é possível, conquanto lamuriemos que um desencarnado se conserve dependente dos modismos e tantas outras ocorrências fúteis da coletividade terrena.
Por outro lado, quais sãos os anseios, os sonhos, as crenças dos que cobrem quase que completamente seus corpos com tatuagens e piercings? Avaliá-los importa alcançar se estão mutilados psíquica, emocional e espiritualmente. Há essas ocorrências extremadas. O que conduz certas pessoas a destroçar a barreira da ponderação e do juízo? Por que atentam contra si submetendo-se a dores e sofrimentos inexplicáveis?
Obsessão? Transtorno mental?
Com a palavra, os espíritas conscienciosos e os psiquiatras.
Jorge Hessen
http://aluznamente.com.br

Referências:
1 Disponível em http://www.estadao.com.br/noticias/arteelazer,tatuagens-sao-relacionadas-a-hepatite-c-diz-estudo,988848,0.htm, acessado em 22/01/2013
2     Os pigmentos têm origem mineral
3     Atualmente são utilizadas máquinas elétricas. Elas são compostas de uma ponteira de aço inox cirúrgico e/ou descartáveis. Avisam os especialistas que essas ponteiras devem ser limpas por ultrassom e esterilizadas com estufa durante 3 horas, pelo menos, a uma temperatura maior ou igual a 170 ºC.
4     Disponível em http://whiplash.net/materias/biografias/000117.html#ixzz2LYoEo8UZ , acessado em 22/02/2013
5     Mc 14,38

Tags:

4 Comments to “PERANTE AS TATUAGENS, O ENFOQUE DE UM ESPÍRITA”

  1. Parabéns,
    Brilhante esclarecimento, muito oportuno.

    Mariângela

  2. paulo diz:

    Tenho muitas tatuagens e fiz porque adoro desenhos orientais e acho que o colorido delas é muito bonito , não fiz com nehuma outra intensão a não ser da alegria que o colorido delas me trazem. Realmente as tatuagens sao coisas que não tem a necessidade de serem feitas.Porem o mais importante é a conciência da nossa evolução espiritual que se processa atraves do aprimoramento de nossas virtudes perante os nossos semelhante encarnados e desencarnados ,ou seja, a caridade que salva e alivia os sofrimentos, que acolhe e ampara, que ilumina e esclarece. Peçamos a deus que perdoe os nossos erros e nos fortaleça para podermos sempre acertar.

  3. Este artigo vem a calhar com o modismo atual, onde a maioria dos jovens estão usando piercings ou fazendo tatuagens as “tattoos” como eles chamam, no corpo e, muitos deles chegam até exagerar. Só que, a maior parte deles, não sabem que estão sujeitos a contrair algum tipo de doença, principalmente quando as mesmas são executas por pessoas não habilitadas profissionalmente, como é o caso de alguns jovens daqui desta cidade aonde resido. O bom seria que, esses jovens tivessem acesso a informações dessa categoria, porém muitos deles nem assistem a jornais, noticiários ou algo parecido para se informarem a respeito de tal pesquisa. Eu particularmente não gosto de tatuagem e, muito menos de piercings, mas não tenho nada contra para quem gosta e faz. Quanto ao Espiritismo, todos nós sabemos que fazer ou não fazer, fica no livre arbítrio de cada um par responder após o desencarne.
    Elmira Alves de Almeida

Deixe um comentário